SELECIONE UMA NOTÍCIA:
2020/04/08
COVID-19: Rendas
2020/04/03
COVID-19: Lay-off
2020/03/27
COVID-19: Segurança Social
2020/03/17
COVID-19: Empresas
2020/01/09
O Renascer dos Trespasses
2019/10/22
A transposição para a ordem jurídica interna do RGPD
2019/09/27
Alterações ao Código do Trabalho
2019/06/24
Faltas por falecimento de familiar
2019/05/28
Garantias Processuais para os Menores Suspeitos ou Arguidos em Processo Penal
2019/05/22
Alterações ao Regime do Processo de Inventário
2019/04/16
Regime da comunicação obrigatória de informações financeiras
2019/03/25
Participation Exemption
2019/02/15
Propostas de Lei de Bases da Habitação
2019/02/15
Novo Código de Propriedade Industrial
2018/12/19
MOEDAS ELETRÓNICAS E MOEDAS VIRTUAIS NO ÂMBITO DO DIREITO INTERNO E DA UNIÃO EUROPEIA
2018/12/14
GOLDEN VISA
2018/12/07
REGIME DOS MAIORES ACOMPANHADOS
2018/11/30
REFORMA DA JURISDIÇÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL
2018/11/16
Programa de Valorização do Interior e as medidas do Orçamento de Estado de 2019
2018/11/12
ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL
Alteração ao regime jurídico da exploração dos estabelecimentos de alojamento local
2018/03/26
PESSOAS COLETIVAS
Apoio Judiciário
2018/02/23
TRATAMENTO DE DADOS
Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados
2018/02/22
PROPRIEDADE
Duplo Registo
2018/02/15
AVALISTAS
Processo de Revitalização e Execução dos Avalistas
2018/01/13
CONDOMÍNIO
Partes comuns. Responsabilidade pelas despesas.
2018/01/03
DIREITO DO TRABALHO
Acidente de Trabalho
2018/01/02
DIREITO DA FAMÍLIA
Menores. Nomeação de Advogado.
NOTÍCIAS
2018/01/13

CONDOMÍNIO
Partes comuns. Responsabilidade pelas despesas.

          Os terraços intermédios que servem de cobertura a algum ou alguns dos pisos do prédio são necessariamente comuns, independentemente do piso em que se situam e de estarem ou não afetados à utilização exclusiva de um dos condóminos.
          De acordo com o recente Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça (12 de outubro de 2017), os terraços intermédios exercem a mesma função de cobertura que exerceriam se se situassem ao nível do último piso, não se devendo confundir a titularidade do terraço (a propriedade) com a sua afetação (o uso). Por isso, por serem uma parte comum, a responsabilidade pelas obras de manutenção a fazer nesses terraços deve, em regra, ser suportada por todos os condóminos, independentemente daquela afetação exclusiva. Só não será assim se, tratando-se de uma parte do prédio afetada à utilização exclusiva de um ou de alguns dos condóminos, a despesa a efetuar se relacionar com a atuação desse condómino.
          No caso que ali se tratava, estava em causa a impermeabilização de um terraço que se tinha degradado, mas sem que o condómino que dele se servia tivesse contribuído, pela sua atuação, para essa degradação. Por isso, concluiu o Supremo Tribunal pela responsabilidade do condomínio por aquela obra.

PRETENDE OBTER MAIS INFORMAÇÕES?
Marque a sua consulta, ou exponha-nos as suas dúvidas, através do nosso formulário de contacto.